Quando o sapato Superstar foi lançado pela adidas em 1969, a palavra ‘Superstar’ foi inequívoca. Hoje, a palavra foi corrompida ao ponto de poder gerar alguma controvérsia. Portanto, este ano a adidas Originals propõe-se a questionar o que significa ser um Superstar.

Para o entertainer e criativo Pharrell Williams, o significado é claro; “Não é sobre o número de
visualizações, ‘gostos’ ou partilhas”. Já para o prestigiado jogador de futebol David Beckham: “Não se trata de tentar ser o próximo grande fenómeno”. “Não é sobre ter o teu nome numa bandeira ou numa camisola”, sublinha o jogador de basket Damian Lillard. Para a cantora e compositora Rita Ora: “Não se trata de seguir o percurso/carreira de outra pessoa a par e passo”.

Embora todos estes “Superstars” tenham diferentes percursos criativos, as suas motivações originais de quando começaram o seu percurso profissional permanecem intactas. Pharrell tinha uma necessidade imperiosa de criar música. Beckham só queria ser o melhor jogador que ele sentia que poderia ser. Eles não estavam em busca da fama. A fama era um subproduto, um resultado da sua dedicação e de um trabalho duro.

Quer seja 1969 ou 2015, uma coisa é certa – não há nenhum atalho para ser um Superstar.

Assista à curta-metragem da adidas Originals, dirigido por Karim Huu Do, sobre o que significa ser um
Superstar em 2015 aqui: http://a.did.as/superstarfilm

#OriginalSuperstar

adidas.com/originalsuperstar