Porque nem só a música faz mover o artista, Bryan Adams inaugurou ontem, no Centro Cultural de Cascais, uma exposição fotográfica composta por cerca de uma centena de retratos de diversas personalidades do mundo da cultura, da moda e do entretenimento.

O músico, que se reinventou como fotógrafo, considera que esta é uma retrospetiva do seu mundo nos últimos 50 anos. A ideia foi da Vogue que as escolheu, mas o músico tentou captar algo de especial em cada uma delas, e por isso, a nudez e o preto e branco são uma marca desta exposição, bem como as expressões captadas que resultam do seu “instinto”.

“Exposed” é composta por uma impressionante galeria de retratos a que deu forma ao longo dos últimos 15 anos, mas a surpresa maior é que dela fazem parte figuras bem portuguesas, que o encantaram pela sua vivacidade e beleza, como as fadistas Gisela João, Ana Moura, Aldina Duarte,Cuca Roseta e Carminho e também José Mourinho, porque para expôr em Portugal “queria algo que não fosse só internacional, mas também nacional”, afirmou Bryan Adams.

A exposição é vasta: de Mick Jagger, Morrissey, Amy Winehouse, Ben Kingsley, ao glamour de Julianne Moore ou Kate Moss, “Exposed” inclui ainda uma mostra fotográfica de soldados vítimas da guerra: “ambos os lados representam o que acontece no mundo de hoje. São fotografias reais”, afirmou.

Escolher Cascais para sede da exposição foi uma decisão fácil, porque a vila está ligada à sua juventude e as memórias que dela guarda são fortes,
regressando várias vezes com a família.

Quanto à música, Bryan Adams acabou de editar o album “Tracks of my years”, composto sobretudo pelas versões “Lay lady lay”, de Bob Dylan, ou “Any time at all”, dos Beatles, às quais juntou o inédito “She knows me”. Apesar de não ter agendado nenhum concerto em Portugal, pensa voltar brevemente a fazê-lo, “talvez no próximo ano”.

A exposição estará patente no Centro Cultural de Cascais até 1 de fevereiro de 2015.