Três anos e 2.000 livros depois, eis que o que começou por ser um blog de leilão de livros já lidos se transformou num projecto sério que alia duas vertentes de peso: a cultural e a solidária.

Inaugura amanhã, 28 de Fevereiro às 18h00, na Cidadela de Cascais, no primeiro andar do restaurante A Taberna da Praça, a livraria solidária Déjá Lu, cujas receitas de vendas irão reverter totalmente para a Associação Portuguesa de Portadores de Trissomia 21.

Francisca Prieto e Maria Faria de Carvalho são as fundadoras deste projecto que iniciaram em 2011, ao criarem um blog onde organizavam leilões de livros já lidos. O sucesso foi tal, que as pessoas aderentes além de comprarem os livros passaram a doá-los, o que fez com que o volume de livros angariado se tornasse impossível de armazenar.

Surgiu então a necessidade de encontrarem um espaço físico que lhes permitisse alargar este projecto para “vôos mais altos”, que se concretiza agora através da parceria estabelecida com a Pousada de Cascais – Cidadela Historic Hotel & Art District, fazendo da Déjà Lu a primeira livraria solidária nacional.

Assim, a partir de amanhã, 28 de Fevereiro, poderá encontrará em Cascais um espaço que alia a livraria ao espírito de tertúlia e à gastronomia, estando previstas outras actividades no domínio cultural, como a realização de quinzenas de leitura, cursos de escrita criativa, encontros com autores e conversas temáticas informais, música, entre outras novidades.

Voltando à questão solidária que lhes é cara, só com o blog, Francisca Prieto e Maria Faria de Carvalho conseguiram canalizar cerca de 15.000 euros para a Associação Portuguesa de Portadores de Trissomia 21, apoiando em particular um projecto de profissionalização dos jovens e adolescentes, com vista à sua autonomia e integração na sociedade. “A associação faz 25 anos e o seu trabalho tem dado frutos, nomeadamente na integração de crianças com trissomia 21 no ensino regular, com currículos adaptados. Essas crianças e adolescentes têm expectativas de um dia terem o seu trabalho e a sua independência, e ainda não se conseguiu dar uma resposta concreta para isto”, explicou Francisca Prieto. Ora, um dos objectivos da Dejà Lu é exactamente poder integrar, gradualmente, jovens com trissomia 21 para trabalharem na livraria.

É para este vertente que Francisca quer continuar a trabalhar, porque não quer ser considerada nem livreira nem alfarrabista. Na livraria não haverá leilões, mas um preço fixado para cada livro que recebe, seja de doadores anónimos ou das próprias editoras.

Fontes:

https://www.facebook.com/pages/D%C3%A9j%C3%A0-Lu/172870586088680
http://portocanal.sapo.pt/noticia/51693/
http://www.cascaison.pt/deja-lu-abre-na-cidadela-de-cascais/
http://lisboa.lecool.com/place/inauguracao-da-livraria-solidaria-deja-lu/
http://www.sabado.pt/cultura_gps/livros/detalhe/deja_lu_o_blogue_de_leilao_de_livros_vai_ser_uma_livraria_em_cascais.html