Chegou o Festival Silêncio e eis que a Palavra invade a cidade. Lisboa é, a partir de hoje, 5ª feira, 2 de Julho e durante quatro dias, a capital da palavra e o seu coração reside no Cais do Sodré, em vários espaços ao longo do eixo da Rua de São Paulo, passando pelas ruas, galerias, cafés, clubes e museus.

É exactamente na Praça de São Paulo que decorrerá esta noite, a partir das 22h00, a inauguração da 5ª edição do Festival Silêncio. “Surrealistas” é o nome do espectáculo de abertura, da responsabilidade da Lisbon Poetry Orchestra, um colectivo de sete músicos, poetas e declamadores que interpretarão alguns dos nossos maiores poetas do Surrealismo, entre eles Mário CesarinyAntónio José Forte, Alexandre O’Neill .

Até Domingo, 5 de Julho, o Festival Silêncio celebra a Arte na Rua e oferece à cidade de Lisboa uma programação imensa, diversa, intensa e multidisciplinar, pensada em conjunto com uma diversidade de artistas, produtores, entidades de criação, estruturas de divulgação e instituições de carácter social e cultural locais, nacionais e internacionais.

O Festival Silêncio é cinema, são concertos, conversas, espectáculos, exposiçõesintervenções e workshops. É na rua, nas fachadas, nas montras, nas galerias, nos cafés, nos clubes, no museu, na praça. O Festival Silêncio é a festa da palavra dita, escrita, pensada, encenada, cantada, musicada, filmada e ilustrada. É um convite à cidade de Lisboa, é de todos e para todos. É para crianças, jovens e adultos de todas as idades; é para famílias, para netos e avós; é para os solitários, para amigos e para os curiosos por tudo. Serão dezenas de eventos, todos com entrada livre, exceto os workshops, que são pagos e requerem inscrição.

Tal foi possível através de muitas parcerias institucionais estabelecidas, entre as quais com a Casa Fernando Pessoa, a Escola Superior de Belas Artes e a Fundação Saramago, que permitiram a criação de três percursos temáticos que proporcionam três caminhos de programação variada, que ligam cada um dos parceiros institucionais à praça de São Paulo.

É exactamente nesta Praça que decorrerão espectáculos musicais – actuações de Aldina Duarte, Gisela João, Sérgio Godinho, B Fachada, Samuel Úria, JP Simões, Couple Coffee, entre muitos outros – assim como encontros sobre literatura e sobre a sua relação com a ciência, a música e o silêncio – José Eduardo Agualusa, Ana Cássia Rebelo, Jaime Rocha e Afonso Cruz são alguns dos autores convidados.

Há ainda a destacar o incentivo à participação dos residentes do bairro e à população de Lisboa, sendo exemplo da adesão alcançada a preparação de um recital popular, com a formação de um grupo coral dentro da comunidade, e um desafio lançado aos residentes da zona do Cais do Sodré para a iniciativa “Palavra à Janela”.

Das centenas de iniciativas que decorrem ao longo destes quatro dias, destacamos: sessões de contos ao ar livre para miúdos e graúdos, oficinas de poesia, exposições de artes plásticas, feiras de alfarrabistas, workshops de fotografia, estações de escuta, bailes de rua, mostras de cinema e várias intervenções de arte pública, entre as quais a pintura de um mural no Largo do Corpo Santo pelo artista Tinta Crua.

O Festival Silêncio conta com a participação de muita gente , com muitos apoios que envolvem instituições de ensino, associações, entidades culturais, instituições públicas e outras organizações e estende-se por muitos locais de intervenção.

As iniciativas arrancam cerca das dez da manhã e prolongam-se para lá da meia-noite. As entradas no evento são gratuitas.

Para saber tudo sobre a programação diária clique em http://festivalsilencio.com/

http://festivalsilencio.com/

Não falte, quebre o silêncio, use da palavra, oiça a música, dance, fotografe, escreva poemas ou o que mais lhe apetecer. Lisboa convida-o. Participe neste grande festival!