BONS SONS 2016
10 bandas, 10 histórias, 10 anos de música portuguesa
Em 2016 celebramos 10 anos de BONS SONS. São 10 anos de história da música portuguesa que se contam pelas bandas que passaram pelo seu cartaz.

Para a festa, além do alinhamento geral do BONS SONS, convidámos 10 dos projectos sonoros que marcaram presença em edições anteriores e cuja relevância os torna, ainda hoje, protagonistas da música portuguesa do momento. Nesta edição comemorativa, estes 10 nomes regressam aos palcos da Aldeia de Cem Soldos para contarem o seu episódio particular da passagem pelo BONS SONS.
Da edição de 2006 regressa a agitação da dixieland, uma das vertentes mais animadas do jazz num concerto bem-disposto pelos sete elementos dos DESBUNDIXIE.

2008 recorda-nos a estreia de DEOLINDA, uma ilustre novidade apresentada na altura com uma Canção ao Lado, e hoje, no quarto álbum de originais, são uma presença incontornável da contemporaneidade da música portuguesa. Nesse mesmo ano, os KUMPANIA ALGAZARRA tomavam as ruas de Cem Soldos de assalto com a arruada do seu rendilhado de culturas. Estão de volta com os ritmos africanos, árabes e dos balcãs misturados com ska, funk e hiphop.

A profundidade da voz de LULA PENA atrai muitos visitantes aos seus raros concertos. Em 2010 o espaço foi pouco para tanta gente mas este ano o BONS SONS dá uma nova oportunidade para se sentir a delicadeza das suas notas musicais. Também foi em 2010 que as DANÇAS OCULTAS fizeram ecoar as concertinas pelo céu de Cem Soldos. Desta vez os sons voltam encorpados com a Orquestra Filarmonia das Beiras numa vontade de partilhar a “Amplitude” com um público maior.

Depois de em 2012 ter apresentado peças de John Cage, JOANA SÁ volta a ultrapassar os limites habituais de uma pianista clássica com o “Elogio da Desordem”, em que procura um discurso musical inesperado no qual irrompe ocasionalmente a palavra com textos de Gonçalo M. Tavares. 2012 marcou também o início da parceria de programação com a Musica Portuguesa A Gostar Dela Própria. No âmbito desta colaboração, os BIRDS ARE INDIE foram um dos projectos que estiveram na igreja de São Sebastião, nessa edição. Este ano voltam para nos cantar sobre como é ser “Partners in Crime”.

A SOPA DE PEDRA foi servida pelas vozes a capella deste grupo feminino de canções de raiz tradicional. Depois de um concerto inesquecível e carregado de simbologia em 2014, a harmonia vocal destas mulheres volta a Cem Soldos em 2016. Voltam também os LAVOISIER, sem que nada se perca ou se crie, aliando a voz e a guitarra eléctrica à reinterpretação da música tradicional portuguesa trazendo-a à vanguarda do tempo.

O novo ciclo do BONS SONS, com edições anuais iniciou-se em 2015, onde esteve D’ALVA numa memorável actuação a provar que a música é agregadora e sempre maior que as partes que a compõem. Regressam em 2016 para a festa do 10º aniversário.

São duas mãos cheias de história, de música portuguesa fervilhante e de experiências únicas que partilhamos todos – aldeia, músicos e público.
2016 será certamente uma edição inesquecível de BONS SONS.

Propositadamente repetidos, são estes os primeiros nomes do BONS SONS 2016:

— Desbundixie (2006)
— Deolinda (2008)
— Kumpania Algazarra (2008)
— Lula Pena (2010)
— Danças Ocultas (2010) + Orquestra Filarmonia das Beiras
— Joana Sá (2012)
— Birds Are Indie (2012)
— Sopa de Pedra (2014)
— Lavoisier (2014)
— D’Alva (2015)

A próxima edição do BONS SONS decorre de 12 a 15 de Agosto de 2016 em Cem Soldos, Tomar.

Mais informações : http://www.bonssons.com/