Inaugura este sábado, dia 19 de Março às 17h, o próximo programa expositivo do Carpe Diem Arte e Pesquisa em Lisboa, e vai apresentar trabalhos dos artistas Fabrizio Matos, Inês d’Orey, Miguelangelo Veiga, Pedro Vaz e Tiago Baptista.

 

Fabrizio Matos   http://cargocollective.com/fabriziomatos 

«Von Calhau» é o primeiro trabalho de uma série de retratos de artistas de Fabrizio Matos.

Fabrizio Matos nasceu na Figueira da Foz em 1975. Vive e trabalha no Porto. É Professor Assistente na Faculdade de Belas Artes do Porto 2014. Das exposições individuais que realizou, destacam-se: “Vita Brevis” VPF Cream Art, Lisboa 2013 ; “Ao Kilómetro seis”,MCO Arte Contempõranea, Porto(2009), Project Room -comissariado de Páco Barrágan, ( Arte Lisboa 2008), ” San Francisco”, Piso Zero, Galeria MCO Arte Contemporânea, Porto, ” Let´s dance”,Galeria Maria Llanos, Cáceres(2007). Entre as exposições colectivas em que participou destacam-se; 2014 -A Boca do Inferno, comissariado por Oscar Faria, Sismografo , Porto; Projecto Atlas, Museu Bernardo, Caldas da Rainha, Espaço Mira, Porto; Igreja de S.Vicente, Évora; Troca-se por arte 2013; e 2012; “Uma viagem um destino”, MCO Arte contempôranea, Porto(2008), “Opções e futuros”,comissariado por Miguel Amado para a Arte Contempo, Lisboa(2008), Wall paper, Stock House- MCO Arte Contemporânea, Porto, Nine solitaire positions, Galeria Academia, Salzburgo(2006), “Portuguese young artists”, Mario Mauroner Contemporary Art, Salzburg(2006), “Portugal Today”, Mario mauroner Contemporary Art, “[email protected] Europa ( Atene- Dot Galerie, Espinho-centro Multimeios, Diest-Galerie Hart Diest, Lugano- Fondazionecarlo Molineris, Madrid, galeria Blanca soto, Paris- Galerie Kiron, Roma- Galleria Arturarte, Spukenisse-Rar Galerie, Viborg- Senko Studio, Valência- Sala Naranja.Viena. Mono no CAPC,Coimbra 2010, Corte do Norte, Plataforma Revólver Lisboa 2011.

 

Inês d’Orey   http://www.inesdorey.com
A obra, centrada em quatro palácios setecentistas lisboetas, incide sobre a comunicação dos espaços relativamente inacessíveis dos palácios com o cidadão comum. A artista intitulou a instalação como «Peso Morto».

Inês d’Orey nasceu no Porto em 1977. No seu trabalho utiliza como principal meio a fotografia. Entre 1999 e 2002, estudou Fotografia na London College of Printing, em Londres, com bolsa do Centro Português de Fotografia. Desde 1999 que o seu trabalho tem vindo a ser frequentemente publicado e exposto em Portugal e no estrangeiro. Em 2007, foi a vencedora do prémio Novo Talento Fotografia FNAC. Publicou em 2010 o seu primeiro livro, ‘Mecanismo da troca’, e em 2011 ‘Porto Interior’. Inês d’Orey é representada pela Galeria Presença.

 

Miguelangelo Veiga   http://www.galeriapresenca.pt/site/index.php?pag=artistas&subpag=detalhe…

Miguelangelo Veiga (n. Lisboa 1974) licenciou-se em Pintura no ano de 2003 pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, frequentou em 2007 a Escola de Artes Visuais Maumaus. Desenvolve investigação no campo das artes visuais desde 2000, nomeadamente, nas vertentes de Desenho, Pintura, Instalação e Vídeo. Em 2002, realizou a primeira mostra coletiva com destaque público: “The opposite direction/ easily reversible”, na Galeria Zé dos Bois (ZDB) destacam-se as participações no Open studio/Residência “O Sítio das Artes”, promovido pelo Fórum Cultural – O Estado do Mundo no Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian (2007). Em 2010, foi selecionado pelos curadores da The Phillips Collection e do Katzen Arts Center American University Museum para representar Portugal na exposição “Loop: Contemporary Vídeo Art From the E.U.”, no National Portrait Gallery, em Washington D.C. Em 2013, integrou o programa de Projetos Associados da Trienal de Arquitectura de Lisboa – Close, Closer – com “Domino / Ready for the fall em Curating the Domestic – Images at Home”. É actualmente representado pela galeria Presença no Porto e pela Galeria Sete em Coimbra, integra diversas coleções públicas e privadas destacando-se; PLMJ (Portugal), Centro de Artes Plásticas de Coimbra (Portugal), Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa (Portugal), Al Maqam (colec. Mohamed Mourabiti, Marrocos), Fundação do Fórum de Assilah (Marrocos) e a colecção Al Asmakh International Art Collection (Qatar). Vive e trabalha em Lisboa.

 

Pedro Vaz   http://www.pedrovaz.com 

Pedro Vaz (Maputo, 1977) obtém a graduação em Artes Plásticas – Pintura, pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa em 2006. No passado ano foram apresentadas as exposições individuais; Atlântica, na Baró Galeria em São Paulo, Neblina, na galeria 111, em Lisboa, e Monólito, no Centro Cultural Casa da Cerca em Almada. Em 2014 foi premiado no concurso internacional Beers Contemporary Award for Emerging Art, em Londres, e recebeu apoio para o desenvolvimento do projecto Tour du Mont-Blanc pela Fundação Calouste Gulbenkian e pela Duplacena. No mesmo ano, destacam-se as exposições individuais; Tour du Mont-Blanc, inserido no Festival Temps D´images 2014, e apresentado no MNAC: Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado em Lisboa, e Stimmung exibida no CAPC – Círculo de Artes Plásticas de Coimbra. Nas colectivas; Raukoon – Pedro Vaz X João Queiroz, também no CAPC, e 50 Anos da Galeria 111 em Lisboa. Pedro Vaz, vive e trabalha em Lisboa.

Tiago Baptista   http://www.3m1arte.com/3mais1/index.php?p=2&artinfo=2&bio

Fugindo à pintura, que representa o seu trabalho em grande parte, o artista apresentará, até 18 de junho, uma série de desenhos suspensos.

Tiago Baptista (Leiria, 1986) estudou Artes Plásticas na Escola Superior de Arte e Design das Caldas da Rainha. Vencedor do Prémio Aquisição Amadeo de Souza-Cardoso 2015 e do Prémio Fidelidade Mundial Jovens Pintores em 2009. Das suas exposições destacam-se em 2015 A pequena realidade, Galeria 3+1, Lisboa; em 2014 Psalm na Galeria Cossoul, Lisboa; em 2013 Prémio EDP Novos Artistas, Fundação EDP e Casa da Música, Porto, Os filmes que não vi aqui, Teatro José Lúcio da Silva, Leiria e Under the influence of, João Cocteau, Berlim; em 2012 Tem calma, o teu país está a desaparecer, Galeria Zé dos Bois, Lisboa; em 2011 Guimarães Arte Contemporânea 2011, Palácio Vila Flor e Laboratório das Artes, Guimarães; em 2010 A culpa não é minha – Obras da Colecção António Cachola, Museu Colecção Berardo, Lisboa; em 2008 Anteciparte ’08, Museu da Cidade, Lisboa. Em 2013 participou na residência artística da Culturia em Berlim e desde 2010 está em residência artística na Galeria Zé Dos Bois. Vive e trabalha em Lisboa.

 

Entrada Livre

Morada: Rua de O Século 79, Bairro Alto, 1200-433 Lisboa, Portugal

Mais informações aqui.