No passado fim-de-semana (4 e 5 de Março) o Vousair esteve presente no Lisboa Dance Festival que decorreu no espaço LX Factory em Lisboa.

Os estilos de musica foram muitos , o ambiente pareceu agradar a todos , mas não foi só de musica que o Festival foi feito , numa área (o espaço Market, na Sala L), onde se encontravam vários stands de marcas e editoras era possível adquirir desde discos vinyl a camisolas existia ainda uma barbearia para quem quisesse ter um novo estilo .
Os palcos diferenciaram se bem uns dos outros trazendo música para todos os gostos electrónicos, salas Bi+Ca, Norma Jean, Zoot e XL. Ambas com um ambiente de pura celebração, dançou-se e ouviu-se desde a “velha escola do house” ,a techno house, hip hop e funk, disco e kuduroo e com muito funk pela mistura também.
Não foi possível para nós infelizmente conseguir estar em todos os palcos que pretendíamos, mas resumindo, a nossa avaliação para o dia de abertura foi bastante positiva, com a Bloop Recordings(Rompante,CRUZ e MAGAZINO ), a Enchufada e a Interzona 13  todos eles a corresponderem e a usarem bem os palcos por onde estiveram e a terminar a noite Âme um dos nomes mais respeitados do planeta no terreno da música electrónica mais sofisticada, facto confirmado pela sua inclusão no Top 10 de djs da Resident Advisor para 2015.

O segundo dia (Dia 5) começou com talks, um dos três pilares do festival tendo os pilares music e market sido desenvolvidos no dia anterior. Com conversas sobre o estado do hip hop, vinil e rádio em Portugal, apresentações sobre como abrir e gerir uma editora, sobre editar um vinil e os respectivos direitos de autor, bem como master classes sobre mastering, produção e sintetizadores, notou se claramente a qualidade dos oradores convidados para as talks e a escolha bem adequada dos conteúdos abordados para o tema .

Na Sala XL , destacaram-se Sven Väth, Prosumer, Move D e Motor City Drum Ensemble, que fizeram acompanhar-se por um fascinante espetáculo de video mapping, que ocupou a grande maioria da parede da Fábrica.
Na segunda maior sala, a sala ZOOT, mostrou-se o melhor da música eletrónica portuguesa, que contou com a presença de Isaura/Fracis Dale (que terminaram neste espaço a sua tour), Moullinex e DJ Ride, que apresentou o seu novo álbum From Scrath e trouxe consigo algumas das colaborações, desde Stereossauro e Héber Marques (de HMB) até Capicua e Jimmy P , sempre com sala cheia ,bastante público a participar.

Mas sem sombra de dúvidas que o melhor estava reservado para o fim , a grande atracção da noite que foi claramente Sven Väth. “Papa Sven” foi um dos momentos mais fortes do dia de sábado ,um grande set !

Para além de Sven Väth é de realçar também David Moufang (Move D) a explorar as fronteiras da música eletrônica, introduziu momentos muito bonitos e melódicos.

Sven Väth encheu a sala XL e o impacto sentiu-se logo de imediato – tanto na música como no publico – uma injecção de energia instantânea, com música variada, jogando entre momentos de tensão e de clímax, construindo um crescendo de energia para acabar raras vezes em catarse.
“Papa Sven” trabalhou bem o peso da música techno com um Set bastante bem trabalhado introduzindo momentos arrepiantes com base no trance protagonizou uma épica actuação ,fechou o dia claramente em alta, deixando o público bastante satisfeito sem querer “arredar pé” da Sala.

Numa análise final sem dúvida que este Festival tem bastantes potencialidades de progressão, com uma localização bastante bem escolhida diriamos mesmo ideal para um festival de Inverno, público que não lhe falta , bastante afluência de público estrangeiro inclusivé e um conceito bem definido. Construindo sobre o cartaz deste ano, e desenvolvendo mais os “pilares” market e talks, o próximo Lisboa Dance Festival tem todas as condições para ser ainda melhor.
Só nos restar pedir à Organização , Mais por favor!
Parabéns! E o nosso muito obrigado!

Deixamos um registo fotográfico deste Festival:

Este slideshow necessita de JavaScript.