A 7ª Edição do Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa (FESTin) começa dia 4 de maio, quarta-feira, às 21h, com a presença de diretores de cinema, cineastas, atores, jornalistas, autoridades e o público amante da Sétima Arte.

Setenta e quatro filmes, entre longas, curtas-metragens e documentários, serão exibidos no Cinema São Jorge de Lisboa, o que torna a capital portuguesa a maior anfitriã de obras cinematográficas faladas em português.

A competição de longas de ficção traz onze filmes, a de documentários seis e a de curtas vinte. Para além destas, seguem outras secções tradicionais, como a Mostra de Cinema Brasileiro, a Mostra de Inclusão Social, o FESTin +, a Festinha e, para reforçar o aspeto experimental do festival a nova rubrica FESTin Arte.

Na abertura, dia 4 de maio,  o Festival exibe o filmeCartas de Amor são Ridículas, de Alvarina Souza e Silva, com os atores brasileiros Roberto Bonfim, Carlina Oliveira e Sandra Barsott. A longa retrata o drama de um casal com cinco filhas, cujo maior sonho é vê-las bem casadas – único destino digno de uma mulher à época. Um drama romanceado de buscas enlouquecidas, equivocadas e cómicas. Poético e com bela fotografia da Cidade de Goiás- interior de Goiás (Brasil) onde foi filmada- a obra tem o título inspirado no poema de Fernando Pessoa.

A cada ano o FESTin homenageia um país de língua portuguesa, mas 2016 faz uma homenagem ao 20º aniversário da CPLP. Além de público, o festival tem a cada edição ganhado respeitabilidade dentro e fora de Lisboa. “O FESTin possui nome firmado, é conhecido internacionalmente e recebemos sempre mais convites para participar de diversos eventos”, explica Léa Teixeira, uma das diretoras. Segundo ela, o FESTin tem sido levado também a países onde existem poucas oportunidades e lugares para os filmes poderem ser exibidos, como é o caso de Timor-Leste e Guiné Bissau. “Estas mostras atraem especialmente, as crianças… Elas vibram e pedem que voltemos”.

O festival proporciona a ponte entre os povos lusófonos e cria uma nova dinâmica para a realização de festivais e mostras, no contexto de sua programação, incentivando e ampliando a visibilidade da produção cinematográfica de língua portuguesa. Adriana Niemeyer, também diretora do FESTin, comenta: “É o único festival português inteiramente dedicado à lusofonia e cuja programação é composta por produções oriundas dos nove países que compõem a CPLP – Portugal, Brasil, Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné-Equatorial, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste”. O júri do festival é formado por representantes  dos nove países, entre jornalistas, cineastas, produtores e pessoas ligadas ao cinema.

A programação completa desta 7ª edição pode ser consultada no site http://festin-festival.com/

Os bilhetes para o festival estão à venda na Ticketline e na bilheteira do Cinema São Jorge  têm um custo de 3,00 € (bilhete normal); 2,50 € (até 25 anos e maiores de 65 anos:); 1,50 € (estudantes e grupos de mais de 10 pessoas/por pessoa); 1,50 € (Mostra CPLP de Documentários/por sessão); Sessões Festinha: 2€ (adultos) e 1€ (crianças até 12 anos).