GONÇALO SAN ROMAN INAUGURA EXPOSIÇÃO INDIVIDUAL  “QUATRO QUARTOS”

Gonçalo San Roman inaugura a 7 de Abril pelas 19h a exposição individual  “Quatro Quartos” (Buenos Aires, Madrid, Paris, Lisboa). A mostra reúne cerca de uma dezena de trabalhos do artista e estará patente de 7 a 30 de Abril, de terça a domingo, na Fábrica do Braço de Prata, em Lisboa.

Entrada Livre

http://www.goncalosanroman.com

“O quarto é mais do que uma mera divisão de uma casa ou hotel. Quer seja como entidade autónoma, pano de fundo ou palco onde estão ou actuam personagens, tem uma presença constante na História da Arte. Manet, Ticiano, Van Gogh, Nikias…para enumerar apenas alguns, trabalharam dentro (espaço físico) ou sobre (espaço temático) esta sala.

O quarto é a sala cómoda da casa, ou só o é em parte por definição. O Quarto é um espaço de paradoxos. Um espaço antagónico, de recolhimento mas também de liberdade e libertação. Em “Quatro Quartos” são vividos momentos diametralmente opostos, tanto de intimidade, paixão, amor, êxtase…como de clausura, conflito, lágrimas, despedida…

Os Quartos são Quatro porque nascem de 4 (quatro) elementos simbólicos (um Ele, uma Ela, uma Cidade e um Quarto), mas também porque as acções ocorrem concretamente em 4 (quatro) cidades: Buenos Aires, Paris, Madrid e Lisboa. A cultura, o ambiente, a luz, o ar, as cores, a familiaridade ou à vontade que temos com cada uma destas ultimas, são também tudo ingredientes que alimentam e espelham o que se vive e como se vive entre 4 (quatro) paredes.

O quarto é um espaço reduzido quando comparado a outras salas, por vezes até claustrofóbico (quarto de hotel) mas pleno de actividade, simbologia, de rotinas intensas e rituais quotidianos. O Quarto (apesar de ser uma entidade em concreto, ou quatro neste caso) não é aqui representado. Aparece no suporte apenas por sugestão. O que se vê ou é dado a conhecer são apenas instantes, pormenores, desejos viscerais ou confrontos minuciosos, reflectidos aqui nos detalhes do desenho. O observador é (por vezes) um mero espectador, de uma acção onde as personagens sabem (por vezes) que estão a ser observadas.”

Nota Biográfica: Gonçalo San Roman nasceu em Lisboa em 1978, cidade em que vive e trabalha actualmente.

Os seus trabalhos de pintura, desenho e mais recentemente escultura e fotografia, tomam uma direcção criativa maioritariamente figurativa, mas também com ensaios variados no campo abstracto, revelaram-se em exposições colectivas, open studios e actividades de carácter cultural em que participou, com especial destaque para a sua mais recente exposição individual “Psicologia das cores” (2016).

HORÁRIO:

Terça | 20h às 02h

Quarta e Quinta | 18h às 02h
Sexta | 18h às 04h
Sábado | 14h às 04h

LOCAL:

Rua da Fábrica de Material de Guerra, nº1

1950-128 Lisboa