Centro de Congressos de Lisboa acolhe 17.ª edição do maior evento vínico do país

Encontro com o Vinho e Sabores 2016: de 11 a 14 de Novembro com muitas novidades gastronómicas

Vem aí mais uma edição do ‘Encontro com o Vinho e Sabores’ (EVS), a celebrar-se de 11 a 14 de Novembro, no Centro de Congressos de Lisboa. A organização do 17.º evento, a cargo da Revista de Vinhos, confirma que as novidades são de monta, no que toca aos ‘Sabores’. Azeite, arroz e bacalhau prometem dar mote a três dias de entusiasmantes – e gratuitas – tertúlias. Entre demonstrações culinárias, harmonizações com néctares nacionais, apresentações e conversas, são muitas as actividades que constam do programa.

A área dos ‘Sabores’ que já havia sido ampliada de há dois anos a esta parte, vê-se de novo aumentada. Para além do espaço para a realização das tertúlias, ganha terreno no que toca à oferta de iguarias para provar, comer e levar para casa. Afinal, a época natalícia não está assim tão longe e vinhos e produtos gastronómicos são sempre bem-vindos, à mesa ou no saco dos presentes.

O azeite, grande companheiro dos néctares de Baco na produção, é o protagonista do pavilhão dos ‘Sabores’ logo no arranque do EVS. O Professor José Gouveia, do Instituto Superior de Agronomia, vai conduzir-nos na descoberta de ‘O que é o azeite’, seguindo-se uma ‘Prova de Azeites Esporão’, pela oleóloga Ana Carrilho.

No Sábado, é tempo de falar de arroz. Um de cada vez, são três os chefes que vão meter a mão na massa, ou melhor, no arroz: Henrique Mouro (‘Demonstração culinária da utilização do arroz e suas harmonizações com vinho’, em parceria com Francisco Silveira, da Companhia das Lezírias); Tiago Bonito, que confeccionará pratos para harmonizar com uma selecção de vinhos do Porto, da responsabilidade de Bento Amaral, do Instituto dos Vinhos do Douro e Porto; e o pasteleiro Joaquim Sousa, que em conjunto com o gastrónomo Virgílio Nogueira Gomes, vai mostrar o ‘Arroz na doçaria nacional’. Joaquim Bravo, da Orivárzea, fará uma apresentação com o tema: ‘Bom Sucesso, o genuíno arroz português para todas as cozinhas’.

O bacalhau, como bom companheiro que é das refeições em família, está reservado para Domingo. Almoce e siga para o EVS para uma ‘Demonstração culinária com o chefe Paulo Morais e harmonização com vinhos da Adega Mãe’, apresentados por Diogo Lopes e Bernardo Alves, da Riberalves. Conheça as ‘Diferentes curas e utilizações’ (por Bernardo Alves) e alguns ‘Vinhos para bacalhau’, este último um momento conduzido por Luís Lopes, director da Revista de Vinhos. ‘Bacalhau, o fiel amigo’ dará mote a uma conversa protagonizada pelos investigadores gastronómicos Fernando Melo (crítico da Revista de Vinhos e Evasões) e Álvaro Garrido (director do Museu de Ílhavo), e por Júlio Fernandes (director-geral do restaurante D’Bacalhau e vice-presidente da AHRESP).

O EVS vai também ser palco para a apresentação de dois livros: o ‘Vinhas Velhas de Portugal’, uma edição dos CTT escrita por Luís Antunes e fotos de Anabela Trindade; e ‘Histórias com vinho e outros condimentos’, que resulta de um compilação de crónicas do reconhecido crítico de vinhos João Paulo Martins.

EVS 2016 abre portas no ‘Dia de São Martinho’

Numa feliz coincidência, o ‘Encontro com o Vinho e Sabores 2016’ abre portas a 11 de Novembro, quando se celebra o ‘Dia de São Martinho’, data tão intimamente ligada ao vinho. Diz o ditado que “No Dia de São Martinho, vai à adega e prova o vinho”. Não à adega, mas ao EVS, o convite mantém-se! De um universo de mais de 2.500 vinhos, de todas as regiões vínicas do país e cada vez mais do estrangeiro, esta é uma oportunidade única para que o consumidor, do mais enófilo ao menos informado, possa desfrutar de uma experiência única. O bilhete de acesso ao EVS custa €10,00, valor ao qual acresce opcionalmente €3,00, para compra de copo de prova.

Considerada a maior mostra e o mais conceituado evento vínico do país, é este o momento ideal para os cerca de 450 produtores presentes apresentarem novidades, mas também para levarem os seus mais icónicos néctares, alguns deles quase inacessíveis. Em muitos dos casos, as raridades ficam reservadas para as ‘Provas Especiais’, que este ano são doze, num painel verdadeiramente notável. Senão veja: uma prova de vinhos do Porto da Graham’s – vintage e colheitas – de grandes anos. Ou a prova de Pêra Manca e Scala Coeli, da Fundação Eugénio de Almeida. Ou ainda a prova de vinhos espanhóis da marca Vega Sicília. Ou ainda uma selecção de vinhos que, de alguma forma, foram marcantes nos 20 anos da carreira do enólogo Jorge Moreira. E que tal uma vertical de Quinta de Bacalhôa? Ou a prova dos vinhas da Casa de Santar? Note que haverá ainda mais provas: João Paulo Martins vai escolher 12 brancos excepcionais; Luís Antunes orienta-se para grandes tintos de Touriga Nacional; a Garrafeira Tio Pepe vai organizar a sua própria prova, comemorando os 30 anos de vida. E não perca ainda uma viagem aos vinhos da Madeira da casa Henriques & Henriques, que certamente vão impressionar os presentes.

Tal como nos sabores, os produtores que assim o entendam vão poder ter os seus vinhos à venda, sendo que o processo de compra acontece directamente no stand ou subscrevendo um serviço de entrega ao domicílio, assegurado pela Vinha (www.vinha.pt), e que é gratuito em todas as entregas em Portugal Continental.

Vinhos e queijos, são estes os produtos de eleição que foram alvo de concursos próprios – ‘Concurso de Vinhos A Escolha da Imprensa’ (organizado pela Revista de Vinhos a propósito e a par do EVS) e ‘Concurso Queijos de Portugal’ (da responsabilidade da ANIL – Associação Nacional dos Industriais de Lacticínios) – e cujo anúncio e entrega de prémios vai acontecer no palco do EVS, respectivamente no primeiro e no último dias.

Os motivos são muitos e excelentes, já se vê, para ir até à Junqueira. Tal como tem acontecido desde há mais de uma década, o EVS é o maior e mais prestigiado evento de vinhos em Portugal. Este ano, a componente gastronómica vai ter uma grande vivacidade, pelo que os palatos lusos vão ter quatro dias em cheio.